sábado, 21 de novembro de 2009

Sete cães e uma flauta


Esta semana, numa esquina da Rua Augusta


5 comentários:

Luisa Moreira disse...

Deixa-me angustiada!

Miséria humana, e miséria canina.

Abraço
Luisa

Zoe disse...

onde ficarão com esta chuva toda e o frio que se aproxima? Uma pessoa e um cão abrigam-se, uma mulher e sete cães, alguns de grande porte. tendo em conta os conflitos entre os sem-abrigo, que os há como em todo o lado onde há pessoas, pode-se imaginar a vida desta mulher e destes cães.
um dia vem a famigerada carrinha da câmara e leva-os todos. é muito triste.
bom domingo
zoe

Vagamundos disse...

Já o vimos "actuar" no Largoe Camões e viamo-lo passar várias vezez no Chiado e na zona do Principe Real. Apesar da pobreza acreditamos que estas pessoas até cuidam bem dos animais, tendo em conta as posses que têm.
Bjs

Zoe disse...

viva vagamundos
a mim pareceu-me uma mulher, mas estava de capuz na cabeça e cabeça baixa a tocar flauta, mas para o caso é irrelevante, é um ser humano a viver na rua com sete cães.
normalmente os sem-abrigo cuidam bem dos seus animais, afinal são companheiros de infortúnio, se calhar os únicos que têm...
beijinhos
zoe

Turmalina disse...

É por aí mesmo, Zoe, são companheiros no infortúnio e assim os cães vão vivendo como vivem os donos. Mas acho que são felizes nessa relação de companheirismo.
Pior os que vivem verdadeiramente abandonados, pq acho que os cães não nasceram para viver sozinhos :o)