sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Hoje é Dia Internacional dos Direitos dos Animais

Como se eles tivessem direitos!!!!!!!!!!!
Entretanto, não usem peles naturais, não vão a circos, não vão a touradas, não usem cosméticos e produtos que testem em animais, não vão a zoos, não comprem animais de estimação, não acorrentem os vossos animais, não os coloquem em gaiolas e aquários, assinem até à exaustão petições anti-touradas, não cacem, não pesquem, manifestem-se em acções de rua e adoptem, adoptem, adoptem. Ah, esqueci-me, não comam carne, os maus tratos a caminho do matadouro e lá são indiscritíveis.
Eis uma notícia deste Dia no blogue da Xana: Cão abandonado no meio do nada com as patas traseiras paralisadas. Como se ele simbolizasse todos os animais abandonados deste país... 

Podem ler mais no
http://noblogdaxana.blogspot.com/

domingo, 28 de novembro de 2010

Boa semana para todos

Ainda eu e o blogue em crise de identidade, recomecei a leitura dos meus blogues preferidos, mas o atraso é tanto que não dei vazão a tudo, sobretudo porque começo sempre pelo fim...mas, lá hei-de chegar a todos!
Telefonou-me agora à noite uma amiga a dizer que nas proximidades da antiga feira popular em Lisboa, estavam talvez uns vinte e tal manifestantes anti-circo com animais com mais polícias por perto do que os próprios manifestantes! Sem mais comentários. Só agradecer a quem com tanta coragem trabalha para um mundo melhor e para que uma nova mentalidade surja. O mundo não está perdido, não senhor. 
Boa semana.   

sábado, 27 de novembro de 2010

Voltei

Mas, não sei por quanto tempo. Depois de um verão muito cansativo em que não me apetecia nem escrever, nem ler, nada, absolutamente nada, nada de nada, porque não achava sentido em nada daquilo que fazia, porque os blogues são como a vida e têm um sentido, ou então chega-se à conclusão que o próprio sentido é não ter sentido nenhum...Então, andei para aqui a matutar sobre a essência do meu blogue, que não é temático, nem político, nem social, nem se aprende nada, e que sendo mais pessoal, tipo diário, o que é que isso interessa, e a quem? Isto é, o que é que contribui para a felicidade de alguém saber que na madrugada de quinta para sexta-feira estive a vomitar e que tenho estado desde então de cama? Não. Ou que o Cabeçudo mia como uma sirene do INEM? Não. A não ser que este blogue seja apenas um exercício de exorcismo, e isso também seria muito limitativo. Poderia optar unicamente por uma linha de divulgação dos direitos dos animais ou dos seus atropelos, mas se se me apetecesse colocar uma fotografia ou um comentário que saísse da linha? Depois de muitas voltas este blogue vai voltar a ser o que era, talvez menos pessoal e mais divulgativo daquilo que realmente interessa, os direitos dos animais, como baluarte de uma nova mentalidade que defenda todos os seres vivos no seu direito à vida. E assim sendo, voltei. Obrigada a todos os que tiveram saudades e aos outros também. Pelo meio o desgosto de ver a Mégui partir para o Céu dos Cães, a quem reservarei um post, aquando do aniversário da sua partida.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Dez coisas que gosto

A Turmalina atribuiu-me um selo que ainda não colei, nem comentei, nem passei a outros e ontem o oplanetaquetemos lançou-me o desafio de fazer a lista de 10 coisas que gosto e de passar o desafio a outros dez blogs. E, agradeço o esforço que tantos estão a fazer para eu fazer qualquer coisa, mexer-me, participar, fazer enter, usar o teclado...
Então, cá vai a lista de Dez coisas que eu gosto:

 Animais, animais, animais...
 Ler
 Escrever
 Árvores
 Deitar-me numa cama de lençóis lavados
 Passear cães
 Ir ao cinema
Ouvir música
Tirar fotografias
 Andar a pé

E, apesar de ultimamente não os ter visitado, nem lido, não quer dizer que não os ame, é um pouco como aquela família que já há muito não visitamos. Cá vão os blogues a quem lanço o desafio:

terça-feira, 20 de julho de 2010

Saravah Turmalina e não sei se isto se diz, mas soou-me bem

Saravah Turmalina!

Muito obrigado pela lembrança e pelo selo. Tenho andado, de facto, muito sumida. Não sou uma pessoa muito saudável e calor, muito trabalho e uns animais velhos e outros doentes, ou tudo ao mesmo tempo são para mim razões suficientes para ficar totalmente sem acção, a tampa do PC para baixo. Não sei o que aconteceu ao post da Mégui, sumiu sem que o tivesse eliminado e tenho a acerteza que não o eliminei. O seu estado de saúde está francamente melhor, tendo recuperado a vitalidade, o apetite e a alegria de viver. Porém, tem um tumor mamário, que inflamou e provocou o estado febril e de prostração em que se encontrou. Pode ser operada, mas como o tumor está numa maminha perto do pipi, a cicatrização vai ser difícil, pois ela é incontinente e a urina fica onde ela faz. Decidi então operá-la no Outono, quando o tempo estiver mais fresco e eu mais tempo em casa para lhe poder mudar as camas.
Já estou a cabecear em cima do PC.

E, saravah! 

quinta-feira, 24 de junho de 2010

S. João

Foto tirada da Internet

Gosto do S. João porque os meus pais casaram nesse dia e porque ir passar a noite de S.João ao Porto é um dos meus desejos antigos. Porém, ontem a minha noite de S.João foi deslocar-me às urgências veterenárias com a Mégui com uma maminha inchada, vermelha e dura e a arder de febre. Estava com 40º e para já está com uma inflamação brutal, porque de tão dorida não permitiu o veterinário fazer palpação, mas poderá ser uma mastite ou um tumor mamário. Só daqui a uma semana, depois do tratamento concluído e quando estiver menos dorida, talvez deixe fazer a palpação e poder-se-á fazer um diagnóstico mais preciso. Está prostada e abatida, sem aquela vivacidade que a carateriza. Não ladra quando chego ou quando estou ao telefone, não quer comer nada do que eu estou a comer, e a tristeza dela é a tristeza de todos nós.       

sábado, 19 de junho de 2010

José Saramago

Tudo já foi dito sobre ele. Quem ama, quem odeia. Quem odeia mas nunca leu. Já lhe foram prestadas todas as homenagens e hoje o povo de Lisboa ou de qualquer parte que aqui se desloque poderá ainda fazê-lo. Como já toda a gente disse e falou e homenageou, só quero acrescentar o grande amor que ele tinha pelos animais expresso através da sua escrista. Podemos ler no seu blog um texto sobre a elefanta Susi, escrito a 19 de Fevereiro de 2009 e que por acaso aqui reproduzi ou outros textos visceralmente contra as touradas. Do Saramago que toda a gente fala fica a homenagem para o defensores dos animais.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Parada à esquina do tempo...



Assim andei eu. Gostaria de dizer de dizer que andei atarefadíssima com a minha tese de mestrado como toda a gente neste momento, ou assoberdada de trabalho, ou cheia de projectos ou qualquer coisa, mas nada disso é verdade. Tenho estado, parada na esquina do tempo, como as palavras deste fado de katia guerreiro, cuja versão da mexicana marcela ortiz me encanta, apesar de a qualidade do video estar muito fraca. Poderia dizer que a presença da Mooi entre mim e o computador é ainda muita viva e não estaria a mentir, pois ainda não regressei ao quarto onde a morte passou e a levou. O computador deixou de ter importância, cada vez mais penso que quem gostava dele era a minha gata e era ela que se divertia com ele, através de mim. Agora é um objecto quase inerte, de tampa para baixo. Nada aconteceu nestes 15 dias, a não ser um concerto do Camané no terraço da cafetaria do Museu do Fado, a inauguração da época balnear em Tróia e um casamento em Malpique/Caria/Belmonte com boda em Maçaínhas da Guarda e de todos estes acontecimentos tirei fotografias bem divertidas que aqui poderia ter colocado. Mas não. Houve também situações do dia-a-dia que me indignaram ou surpreenderam ou alegraram e que poderia ter descrito. Mas não. Começou o campeonato mundial, houve inquéritos e comissões e agitação política e social e a malfadada crise, mas não. Nada me motivou a escrever, ou a ler, ou ouvir.
Também por nos últimos tempos ter privado de muito perto com o sofrimento e a morte, visitando o pai de uma amiga no hospital, num Serviço particularmente pesado, se se pode dizer que existem Serviços leves num hospital...Este contacto frequente com a fronteira ténue entre a vida e a morte leva-nos a relativizar o dia-a-dia e as suas mesquinhices e tudo ou quase tudo deixa de ter importância quando vemos alguém a sofrer numa cama de hospital, muita gente a sofrer em camas de hospitais. Porque imediatamente questionamos o sentido do sofrimento, de tanto sofrimento. A conclusão é que não há sentido.
P.S. Mistérica também é, no final do post a ausência de Publicada por Zoe e os comentários. Sou alheia a todas estas anomalias, mas peço desculpa na mesma.         

sexta-feira, 28 de maio de 2010

A professora de Mirandela, os arquivos e eu.

Não vou falar da produção kitch da playboy, porque já toda a gente falou. Gostaria de saber que se fosse a a Bárbara Guimarães a despir-se, se lhe poriam um caniche ao colo, claro que não, mas como se tratava de uma habitante de uma aldeola de 1000 habitantes para além do sol posto acharam que para quem é caniche fica bem. Dizer que a professora de Mirandela foi castigada por se despir também é para rir. Como se ela não tivesse previsto os lucros que daí adviriam! Aliás, já contratou um agente e já tem agendadas presenças em discotecas de Vila Real, Cabeceiras de Basto e Macedo de Cavaleiros. O agente referiu ainda que os valores cobrados não são os da Merche Romero, mas são na ordem dos cobrados ao Angélico e ao Dzrt... Enfim, para começo não está mal, não senhor. Para quem foi "vítima" da hipocrisia, da censura comunitária, da mentalidade retrógrada, da punição, não está mal, não senhor. Foi bem pensado.
A mim, o que me chateia no meio disto tudo é que os arquivos são conhecidos como o local para onde se manda toda a gente de castigo: deprimidos, depressivos, anti-sociais, funcionários com problemas relacionais, para lá vai tudo. Ora existem técnicos profissionais de arquivo, com o 12º ano e um curso técnico profissional de 9 meses ou o 9º e três anos de formação. E, existem os arquivistas com uma pós-graduação de três semestres e se quiserem podem fazer uma tese e ficam mestres em arquivos. Portanto, os arquivos são um local de exigência técnica muito elevada e não depósito de castigados. É isto que me chateia. Porque os arquivos são Memória.
Fotos minhas
   

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Faz hoje um mês

que a minha bichinha partiu para o céu dos gatos. Desde então não tenho escrito nada que preste. Desconfio que, na realidade, não era eu que escrevia, mas sim ela. Porque a chegada da Mooi a minha casa e a chegada do PC são coincidentes e ela logo elegeu o espaço entre mim e o meu computador como seu, em cima do meu braço direito, depois passava-a para o esquerdo para poder escrever, aninhava-se ali no ângulo do braço e ali ficava o tempo que eu ficasse. Chegou a Mooi, o PC e eu começaria uma pós-graduação que durou tês longos semestres. E, ela sempre ali a fazer-me os trabalhos. Até às tantas. Muitas vezes, eu não conseguia fazer nada com ela nestas posições e afastava-a ou punha-a fora dali, daquele local entre mim e o PC. Mas, ela voltava e eu punha fora e ela voltava e eu enxotava, principalmente quando estava muito calor e aquela bola de pêlo fervia em cima dos meus braços. Se eu soubesse que ela iria ficar tão pouco tempo entre nós, deixá-la-ia ficar até hoje. Mas, é sempre assim. já com as pessoas também, pensamos que são eternas, que temos tempo, todo o tempo do mundo. E, um dia, já não estão mais connosco.
Agora não escrevo mais nada. porque o que eu escrevia, era ela que ditava. 
Aqui com o namorado Rubi

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Prémios


Recebi este selo hoje, do César, do alfobre. muito obrigada.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Ratzinger, os arminhos e a minha voz...

 Imagem retirada da Internet

Há pessoas que conseguem manter um sorriso sem mexerem um único músculo, não sei como o fazem mas também não o quero aprender! Tarrenego! A vida tem de ser mesmo vivida de peito aberto ou então seremos semelhantes a um galão tépido. 
Bem, a semana foi intensa. E, não falo de festejos do Benfica ou visitas papais. Falava mais de relações interpessoais. E, atenção que essas relações não são necessariamente amorosas. Podem ser de amizade, ou de qualquer coisa. Adiante.
Consegui ver o papa-móvel de uma nesga de uma varanda do local de trabalho e op tal bafo maléfico, fiquei afónica! Bem, na verdade, eu andava com dores de garganta e essas dores transformaram-se em apagão da voz. O facto coincidente com a passagem do papa móvel foram só extrapolações para rir. Não percebi até agora tanta excitação à volta do papa. "Ah! Afinal ele é simpático!" Foi o comentário que mais ouvi na boca do "povo". Mas, pergunto eu: desde quando simpatia é condição absolutamente necessária para o que quer que seja?? Como é que pode haver tanta excitação à volta de um dirigente que enquanto Arcebispo encobriu padres pedófilos com indicações que deveriam ser tratados com cuidados paternais??? E, só agora que tais factos vieram a público é que Ratzinger enquanto papa pede desculpa às vítimas. Então, e processos, prisão, enfim justiça, nada? E, as declarações em África?? E, a pele verdadeira de arminho que usa nos barretes?? Para não falar da ostentação e carreirismo clerical ou da prepotência e autoritarismo com que é exercido esse poder clerical. Será necessário outro grande escândalo vir a público para que o papa venha pedir desculpa? O que me chateia é que toda esta gente invoca o nome de Jesus em vão...Bem, nem vale a pena falar no despesismo que a visita envolveu, já toda a gente falou. A contrapartida que dele virá através do turismo religioso em Fátima parece-me ilusório e pouco realista. A verdade é que com a partida do papa a minha voz está a voltar...
Aquele animal lindo é depois assim apanhado para ir para os barretes do papa. Errkkkk! Abrenúncio!

Imagem da Internet


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Isto é muita areia para a minha camioneta...

Ele é o Benfica campião, ele é a visita do Papa, ele é a poeira vulcânica a abrir e fechar aeroportos, ele é o anúncio dos convocados de Carlos Queirós para o Mundial. Ainda dizem que esta vida é uma pasmaceira! 

domingo, 9 de maio de 2010

Só depois que a última árvore for derrubada,

o último peixe for morto, o último rio for envenenado, vocês irão perceber que dinheiro não se come." É um provérbio índio que nos é dirigido, enfim, vocês serão os "dirigentes do mundo", mas também todos aqueles que de uma forma consciente ou inconsciente, directa ou indirectamente contribuem ou participam na poluição dos mares e violentação da vida da natureza. O consumo desmesurado de papel e de plástico não nos isenta de culpa nem a remete para os "donos do mundo". Vem isto a propósito dos mais de 200 voos que hoje já foram cancelados estando alguns aeroportos fechados, semi-abertos, semi-fechados. Tanta empáfia, tanta soberba, tanta superioridade com o mundo animal e vegetal, e de repente, ali está o homem, tão reduzido à sua insignificância, é o momento de usar esta expressão em toda a sua plenitude. Uma poeira vulcânica e pára tudo. Poderá ser uma ideia simplista e infantil, mas penso que a natureza se está a vingar de tantas maldades e atrocidades que cometemos contra ela. Um geólogo que ouvi na rádio, não defenderia a minha ideia com tanta simplicidade, mas defendia que existe, de facto, uma mecânica global de funcionamento do planeta.    

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Pessoas

A vivência solitária da dor de perder a amiga mais próxima, leva-me a afastar-me o mais que posso das pessoas. O trabalho e a respresentação que ele obriga, os compromissos forçosos deixam-me sem uma pinga de paciência para quem quer que seja, onde quer que seja. As pessoas cansam-me mais do que nunca e mais do que nunca queria ser o que não sou e partir por esses vales e montanhas. 
Há aquelas pessoas cuja proximidade nos põe bem dispostas, há outras de quem institivamente fugimos. Há aquelas que embirramos. As sonsas, as falsas sonsas, as dissimuladas, as falsas dissimuladas, as perversazinhas, as que que não têm graça nehuma, mas que insistem em ter graça e o resultado é deplorável e há quem tenha isto tudo junto e bem embrulhadinho.
Ou se calhar é só o SPM, que no Brasil tem o nome delicioso de TPM, ou seja "Treinada Para Matar". Então, as oscilações hormonais devem-se à produção de serotanina, uma substância produzida pelas células nervosas e que na mulher oscila de acpordo com o período do ciclo menstrual. A serotonina actua sobre o humor, quando ela está alta, andamos bem-dispostas, bem-humoradas, quando o nível cai mal-dispostas e mal-humoradas. Enfim, isto não é assim tão linear. Há mulheres que nunca tiveram SPM; outras que só em determinados períodos da vida. Faço parte do grupo que sempre teve. Agora não vale é avançar o SPM como desculpa para o que quer que seja.
Nestas alturas só tolero mesmo é a companhia dos animais e dos livros. Mas, apesar de toda esta jeremiada, desejo-vos a todos um excelente fim-de-semana. Parece que vai ser de chuva.
Imagem retirada da Internet
  

domingo, 2 de maio de 2010

Dia da Mãe

As pessoas só morrem quando deixam de existir na nossa memória


quinta-feira, 29 de abril de 2010

O Esplendor Tuga...

Hoje à tarde, na esquina da rua da Conceição com a rua dos Correeiros, uma carrinha estacionada na estrada, junto aos carris, impediu a passagem não de um só eléctrico, mas sim de oito, isso mesmo: eléctricos que entretanto se foram juntando! Quando eu cheguei ao local, há já meia-hora que a cena durava: turistas saíam dos eléctricos e fotografavam; donos, empregados e clientes das retrosarias juntavam-se nos passeios e uma esbaforida agente de trânsito, esbracejava para fazer passar os carros. Quando por fim apareceu o rebocador municipal, apareceu o faltoso a correr, mas de nada lhe valeu. Rebocaram-lhe a carrinha e tiraram-lhe a carta, segundo testemunhos de populares. Por íncrivel que apareça, ainda houve vozes que se levantaram para defender o rapaz, Coitado, estava a trabalhar, porque é que não vão prender os ciganos que vendem droga, esses não prendem eles não, a discussão descambou para o governo que vai matar o povo à fome, e o culpado daquilo tudo foi...o Sócrates, pois então! 
 A carrinha faltosa e a agente esbaforida 


A fila de eléctricos parados que chegava à Igreja de Santa Maria Madalena


O faltoso viu este anúncio publicitário e decidiu cumprir à letra

segunda-feira, 26 de abril de 2010

O meu blog faz hoje um ano

Imagem da Internet
O meu blog faz hoje uma ano. Não me apetece festejar nada, porque ainda estou de luto pela minha Mooi.
Mas, queria agradecer a todos aqueles que têm a paciência de o ler e também aos que não o lêem; aos que nunca se cansam e aos que estão sempre cansados; aos nunca se esquecem e também aos que nunca se lembram; aos que têm a coragem de ser leitores activos e participativos, e aos outros também; aos que têm sempre tempo e também aos que nunca têm tempo. Porque a luz de uns só resplandece com a escuridão de outros. 
Não direi que foi um ano de altos e baixos, mas sim de baixos e baixos, desde o ano passado, no verão, ter ficado sem pc durante mês e meio, até muito recentemente ter ficado sem ele durante três semanas onde estive mesmo mesmo para dar um fim a este blogue... Parecendo que não, elas não matam, mas moem! 
Mas, depois pensei que foi um ano em que aprendi muito, muito mesmo com outras pessoas e quero continuar a aprender e esse facto, só por si, vale por todos os baixos e baixos que tive; aprendi com elas, viajei com elas, ri-me e chorei com elas. Fiquei surpreendida com algumas pessoas amigas, familiares, conhecidos e por aí adiante nunca me visitarem, nem lerem, nem ligarem nenhuma, mas em contrapartida tive a agradável surpresa de pessoas que não conhecia, terem aqui chegado, terem gostado e terem continuado e fazerem agora parte de uma galáxia virtual, eles sabem quem são. Mas, hoje não pode haver festa.

domingo, 25 de abril de 2010

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Em memória da Mooi


A Mooi foi ontem a enterrar. Na sepultura tem um vasinho de amores-perfeiros amarelos, símbolo do amor perfeito que ela me devotou toda a sua curta vida. Cozi-lhe a mortalha branca, cavei-lhe a sepultura e enterrei-a à sombra de uma árvore de um quintal de uma amiga, que posso avistar de uma janela da minha casa. Teve flores, orações fúnebres, pensamentos bíblicos. Repousa em paz. Penso que, da mesma maneira que não existe uma vida específica, intrínseca e própria para os animais, também não existe uma morte própria para eles. A morte é a morte. A transmutação da matéria, a energia que volta à terra, para se transformar. A essência da morte é a mesma para o mundo animal humano ou não-humano.       

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Saudade

Esta madrugada a morte passou pelo meu quarto e levou-me a minha querida Mooi. Morreu sem um ai, nem um estremecimento, como um passarinho. Estava inconsciente, desde a véspera, numa espécie de coma, seguimento de um avc, ou um ataque cardíaco ou qualquer coisa que lhe deu e que ficou inconsciente. 

Últimos tempos

Últimos tempos

domingo, 18 de abril de 2010

Crónicas de Estrasburgo...

Boas notícias para a comitiva presidencial que está acampada algures: a ministra Ana Jorge e a fadista Kátia Guerreio juntaram-se hoje ao grupo. Assim, a primeira pode tratar das dores musculares, das dores de cabeça, das noites mal dormidas, enquanto a fadista canta: "...tudo isto é triste, tudo isto é fado..."
Moral desta história toda: poeiras e nuvens vulcânicas não se compadecem, ___nem um bocadinho___, com presidentes, primeiras damas, empresários de sucesso ou sem sucesso, assessores, elementos da casa civil e por aí adiante.

P.S. Acabei de saber que esta coluna nem sequer vai almoçar a um restaurante para não perder tempo e estar em Barcelona o mais rápido possível e vão fazer uma espécie de piquenique ao ar livre. Cuidado é com as formigas, porque elas também se estão a borrifar para presidentes.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Flor ou Uma História com Final Feliz


Lembram-se dela? Com certeza que sim, ela foi aqui publicada muitas vezes, e é ela que está aqui em cima, na imagem que ilustra o meu blogue, numa homenagem aos animais de rua. Mas, o destino da Flor mudou.
Com a doença oncológica da Mooi, o Cabeçudo diabético, e a viagem a Praga fui acabando por esquecer de publicar uma boa notícia para todos os que se alegram cada vez que um animal sai da rua e é adoptado. É que depois de dois anos e meio de vida na rua, ao frio, à chuva, a fugir de cães, gatos com cio, carros, energúmenos, burgessos e afins, a nossa querida e mimada Flor já vive numa casa e a sua vida aburguesada de sofá, desde o dia 11 de Março! Pois é, a minha vizinha do r/chão decidiu-se, por fim __num rasgo de coragem que pensei que não seria capaz___, a levá-la para casa. É para nós, um alívio e o fim de um tempo de sobressalto e preocupação constantes, pois ela estava a afastar-se cada vez mais da praceta onde moramos e onde comia, indo refugiar-se nos motores dos carros de outra praceta, sendo preciso ir chamá-la e buscá-la, por vezes, tarde, muito tarde, na noite. Para a história fica uma pasta com dezenas de fotografias, pois ela, é sem dúvida, das gatas mais fotogénicas que conheci em toda a minha vida.     

terça-feira, 13 de abril de 2010

Prendas



    Recebi ontem da Greenie, coisasverdes, esta prenda em forma de selo que muito muito me agradou, propondo-  me ainda a greenie que responda às seguintes solicitações:

1 - Dizer algo que goste em si: Força de vontade.

2 - Dizer uma coisa que goste no blog de onde recebeu o selo: O que eu gosto no blog da Greenie são as notícias, informações sobre animais, testemunhos e histórias com...animais. 

3 - Oferecer o selo a 5 blogs, desafiá-los e caracterizá-los: Como já ofereci merecidos selos à Turmalina, ao Carlos, à Luísa, à Lupa, à Wolken, à Greenie, aos Vagas, ao Hugo, vou hoje oferecer a quem ainda não dei e que não são por isso menos merecedores. Então, hoje o selo vai para:

 alfobre, do César Ramos, é um blog onde se aprende sempre qualquer coisa, sobre os mais variados assuntos, sejam de história, literatura, poesia.

Blue Moon, caixadepandora, da C.G.S, é um blog que me encanta. Poesias em prosa ou verso, ilustradas muitas vezes com quadros da autora e uma música de fundo linda.

Um Gato leva a outro, umgatolevaaoutro, da Isabel, um blog que se esforça não só pela divulgação de notícias sobre animais mas também pela publicação de anúncios sobre adopções, abandonos, situações urgentes, maus tratos. E, também como acaba de fazer um aninho de vida este selo é também uma prenda.

 ocantinhodairis, é um blog de uma cadela bombeira, que gosta de publicar fotografias e videos de histórias de inter-relação entre animais de espécies diferentes sejam humanos ou não-humanos.   

Viver é pura magia, viverpuramagia, do brasileiro Ricardo Calmon, que tem uma curiosa forma de expressão e que transmite uma energia muito positiva.

Embora não tenham sido escolhidos por essa razão específica, quando reparei, todos gostam de animais! 

Parabéns a todos, porque todos estão mesmo de parabéns. 

Ainda a Marcha pelos Animais

Três dias depois da Marcha, cá vão as fotografias. Como as tenho visto muito boas, e as que publicaria não iriam acrescentar nada àquelas que circulam na Internet, optei pelas saudações que cães e donos da rua de S. Bento nos vieram fazer às varandas e janelas. Ou pelo menos, vieram ver-nos.





domingo, 11 de abril de 2010

Cidades da minha vida: Santiago de Compostela

Foto tirada da Internet
Só agora estou a responder ao desafio que o Carlos Barbosa de Oliveira de cronicasdorochedo nos lançou para escrevermos algo sobre cidades que nos tocaram ou comoveram ou que tenham, para nós, qualquer coisa de especial. Escolhi Santiago de Compostela por ela estar indelevelmente ligada à minha saúde e também à minha carteira...Então, em Novembro de 2003 fui passar um fim-de-semana a Santiago. Contrariamente ao que sempre acontece na Galiza, não estava a chover, o céu estava azul e o sol quentinho. Visitámos a Catedral, respeitei e cumpri os rituais e tradições, coloquei a mão direita na coluna do pórtico da Glória, dei três cabeçadas numa estátua e abracei a imagem do Apóstolo que preside à nave central. Passeámos pelo centro histórico, comprámos as nossas lembranças, tudo estava a correr às mil maravilhas, nada fazendo prever que no dia seguinte, no domingo, mal me conseguisse levantar, assolada por violentas dores de costas, pernas e garganta. Dores estas que não me largaram durante todo o mês de Novembro, não conseguindo nem comer, nem beber, nem deglutir fosse o que fosse incluindo o fumo do cigarro, tendo então agoniado e intolerado o tabaco, até hoje. Quando me perguntam: Quando é que deixaste de fumar? Comecei a deixar de fumar em Santiago de Compostela. Fui lá passar um fim-de-semana e no domingo...", já sabem o resto da história. 
Um dia, hei-de dar-me ao trabalho de fazer as contas, com as devidas actualizações dos aumentos do tabaco, de quanto eu poupei desde então. Por alto acho que já dava para comprar um carro, em segunda mão, claro. Bem, só me esqueci de dizer que fumava um maço de Lucky Strike por dia. 
E, tudo haveria de começar em Santiago de Compostela...  

Ainda a Marcha


Por razões obscuras que me escapam, às vezes não consigo colocar directamente os videos do you tube para o blog. Foi o caso, de qualquer maneira é só fazer um click em cima. Trata-se do final da Marcha, já em S.Bento. Não sei quem é o autor do video, mas gosto particularmente da música de fundo: torero assassino...

http://www.youtube.com/watch?v=WogsnMSPMTk

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Sonho de uma noite de Primavera


"Quando sinto a tua respiração no meu ombro, o meu corpo transforma-se em água".
Foi o que sonhei esta noite.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Rio de Janeiro

Por todos os seres vivos que perderam a vida no Rio

terça-feira, 6 de abril de 2010

Prédios de Praga

Daqui a muitos anos e muitos séculos outros viajantes passarão e passearão na ilha de Kampa e hão-de fotografar aquele Menino Jesus de Praga e aquele lobo na fachada daquela casa. A memória colectiva do olhar que passa de geração em geração numa espécie de vida eterna.

As estátuas e as imagens guardam os nossos olhares para um dia os oferecerem. A quem os merecer.

Há quem viva ali e talvez não seja feliz. Às vezes passeamos numa cidade e pensamos aqui poderia ser feliz. Outras vezes passamos num sítio, olhamos para uma casa e pensamos se eu vivesse aqui, seria feliz.  

Continuação de A insustentável leveza do ser

Cada vez menos me apetece falar e não acrescentar nada àquilo que já toda a gente disse antes de mim. Neste caso, Praga. Gostei muito dos cafés. Intimistas, confortáveis, vai-se lá para falar de qualquer coisa e não apenas para beber uma bica e comer um pastel de nata, em pé, ao balcão. Em Praga apetece estar num café e não apetece sair de lá.    

A caminho do café Louvre onde Kafka gostava de ir


O café Republika onde eu gostei de ir


 Uma bica...praguense!

domingo, 4 de abril de 2010

A insustentável leveza do ser

Recentemente chegada de terras checas e com a Mooi leve como uma pluma foi este o título que me ocorreu para este texto. Desde o último post, __faz hoje quinze dias__, muita coisa se passou. Depois de ter sido diagnosticado à minha querida Mooi cancro do pâncreas e ainda outro na cavidade abdominal que na altura por falta de coragem nem escrevi, ao diagnóstico foi acresentado pouco tempo de vida, mas, a bichinha já sobreviveu 17 dias a comer, a beber, a procurar o sol e a ronronar em cima da minha cabeça. Não sei se estes dias foram os mais felizes da vida dela, mas foram, sem dúvida, os mais mimados. Ela pode fazer tudo e mais alguma coisa, desde afiar as unhas nos meus sapatos e na segunda gaveta da comoda, até ao melhor lugar ao sol que é para ela, assim como as melhores latas e o melhor colo. Entretanto, teve tempo e energia para ter rebentado os pontos, e para ser de novo anestesiada e cozida!
Com a Mooi entregue aos primorosos cuidados da minha vizinha do r/chão e o Cabeçudo internado, rumei a Praga, numa viagem que já estava paga antes de toda esta sucessão de doenças de animais. Eu queria ser original e dizer qualquer coisa que ainda não tivesse sido dita, mas parece que já toda a gente disse o que há para dizer de Praga. Junto-me ao coro daqueles que dizem que é uma das cidades mais bonitas do mundo, principalmente se andarmos de nariz no ar __como me foi recomendado__para ver as fachadas art nova e art deco e outras artes. Do caderninho que levei com o título pomposo de Crónicas de Praga, nem uma linha, como se as dores de pés e pernas tivessem passado às mãos e ao cérebro e estivesse tudo amassado. O caderno está é cheio de bilhetes de entradas, de panfletos publicitando concertos o que si é revelador de algo, é que eles distribuem prospectos de concertos a cada canto e esquina como nós aqui distribuimos prospectos de ginásios e depilações. Das 277 fotografias que tirei, para hoje escolhi três ao acaso. Espero que gostem.         
                                                                       A janela da casa de Kafka da Viela Dourada


Vista sobre Praga, do Castelo
                                                                                                                      Edíficio à esquerda do Relógio Astronómico