quinta-feira, 23 de julho de 2009

Querida Teodora

Faz agora 15 anos que o trouxe para casa. Devia ter uns 3, 4 meses e foi abandonado nos claustros de uma igreja. À hora do fecho da mesma, o sacristão, ou guardião, ou porteiro, cheio de bondade ontológica, mas maus modos, preparava-se para o pôr fora, quando lhe peguei ao colo e ao meu colo ficou até hoje. Este olhar é enganador, é um gato arisco e anti-social, não gosta de festas e só eu posso pegar-lhe ao colo. Todos os animais humanos e não-humanos têm medo dele, pois passar-lhe a mão pelo pêlo, significa mordidela pela certa ao ousado e atrevido. É, porém, dotado de uma intuição acima do normal, pressentindo à légua os meus estados de espírito, humores e depressões. Foi ele que há dez anos deu sinal de um princípio de incêndio em nossa casa, salvando-nos a vida. É um gato herói. Apesar de macho, chama-se Teodora. Coisas da vida.

2 comentários:

Luisa Moreira disse...

Mais um gato de casa? Mas quantos tem? A minha irmã chegou a ter 6.

É lindo!!!

Zoe disse...

sim, a ( que é um...) teodora vive em casa.
agora também tenho 6, pois decidi ficar com o preto cabeçudo!!!!! e uma cadela !!!!!!!!