quarta-feira, 1 de julho de 2009

Mégui

Esta carinha laroca é a Mégui. Paralítica, com metade das patas amputadas, caprichosa, bem-disposta, enérgica, divertida, uma força da natureza. A prova viva de que não é preciso adormecer os animais a torto e a direito, sem critério, porque "é melhor do que estar a sofrer". A verdade é que a Mégui já está comigo há 11 anos, e nunca a vi murcha a um canto (excepto nos dois pós-operatórios), faz a sua vida normal, tem um apetite devorador e uma energia inesgotável.
A Mégui foi tropelada, abandonada e ficou caída numa estrada do Algarve, até que alguém a apanhou e trouxe para a União Zoófila-Av.Conde Valbom, onde vivia quando a conheci.

4 comentários:

Luisa Moreira disse...

Oh Mégui tens um ar meiguinho minha querida, ainda bem que existem pessoas como a tua dona.
Muitas festinhas e beijinhos, gostei de te conhecer.......

mari disse...

olá mégui pequerrucha, conheço-te
e tua dona dá-te miminhos -fofa

Anónimo disse...

Ainda que em corpo de animal, Mégui é símbolo de resistência. Digo resistência porque ELA transforma a dor em alegria. Não será esta uma lição, das mais profundas, para o mundo dos ditos seres pensantes? Eu penso, mas nem sempre chego a esta mutação (espiritual). Agora falo directamente com a Mégui: o racionalismo é uma espécie de traição da natureza, penso, penso, penso e em nada simplifico o que pré-existe!
Mégui é uma lição para o meu olhar: Olhai os lírios do campo ... “Considerai os lírios do campo. Eles não fiam nem tecem e no entanto nem Salomão em toda sua glória se cobriu como um deles.” Compreendo tudo isto, mas não o entendo. Megui, por sua vez, entende com toda a sua vida.
Pedro Maximino

Zoe disse...

a missão da Mégui neste mundo é mesmo essa, dizer-nos com a sua vida: não desistam!