terça-feira, 18 de agosto de 2009

Canil Municipal de Lisboa

Recebi um pedido de divulgação de um modelo de carta a enviar aos eventuais candidatos à Câmara Municipal de Lisboa sobre as condições do Canil Municipal. Porque, quando falamos de crueldade contra animais, é de pessoas que estamos a falar, como diria Rodrigues Guedes de Carvalho no início do seu segundo programa sobre Direitos dos Animais, respondendo a um mail de um espectador que lhe dizia para se deixar daquilo e que falasse de pessoas. Depois da exibição de imagens de crueldade contra animais, RGC rematou dizendo que era de pessoas de quem se falava.
Cá vai o que me enviaram:
Para:
info@pnd.pt


Ex.mos. Senhores,
Enquanto munícipe de Lisboa, venho por este meio solicitar a V. Exs. a correcção definitiva e em larga escala da situação desumana e selvagem que se vive no canil/gatil municipal de Lisboa. Este canil não está sequer a cumprir a legislação nacional (DL-315/2003) e comunitária à qual é obrigado. Gostaria muito que V. Exs tornassem públicas as medidas concretas que pretendem tomar relativamente a este assunto, bem como o prazo para o cumprimento das mesmas.
É inaceitável que o único canil/gatil Municipal, apenas tenha acesso a quem tiver carro, pois o comum munícipe que utilizar transportes públicos tem que percorrer com risco de ser atropelado pela berma de uma estrada sem passeio ou outras condições durante cerca de 1,5 km, quando se poderia aceder pela parte de cima do canil, se aí se construísse um acesso que levaria directamente ás paragens de autocarro que servem o parque do Alvito! Para tal bastaria a construção de um percurso pedonal, em escada talvez até utilizando os toros provenientes da limpeza da mata adjacente, seria uma opção barata e muito ecológica, para além de permitir o acesso a todos os Munícipes!Esta situação, apesar da publicidade no site da CML , é por si, um factor de exclusão da maior parte da população em aceder aos serviços aí prestados!
Corrigir o modo de funcionamento do canil/gatil da CML é uma questão de princípio básico civilizacional. Diria mesmo uma questão de cultura e de humanismo.
Em finais de 2006 e já em 2007 muitos cidadãos denunciaram a desumanidade vivida no canil/gatil municipal de Lisboa, tendo-se testemunhado: . cães presos a pequenas correntes - por vezes presas em 2 elos -, que os impediam de se deitar, beber ou comer convenientemente; . recipientes de comida cheios de dejectos (diarreia) que só são limpos à hora estipulada para a limpeza e são deixados assim até à limpeza seguinte, que pode ser no outro dia; . cães de grande porte que mal cabem nas próprias boxes; . mangueiradas diárias de água gelada em TODOS os cães nas boxes, que ficam em pleno Inverno encharcados 24h por dia, adoecendo gravemente com pneumonia numa semana; . uma altíssima percentagem de animais saudáveis que adoecem em poucos dias;. falta de condições de higiene (e.g., sala dos gatos); . base de dados de animais muito deficiente e falta de campanhas para adopção em locais de grande acesso para a população; . gatos e cachorros mantidos em jaulas de metal minúsculas, sem luz, com paredes de metal e bases de grade (onde partem as patas que aí entalam com pânico); . gatas que dão à luz nestas mesmas "jaulas" sem qualquer conforto e recém nascidos espezinhadas pelos outros ocupantes provenientes de outras capturas;. animais mortos em caixotes a céu aberto;. inúmeros testemunhos de maus-tratos sobre animais, patentes nas feridas não tratadas; . um cão mantido numa cela há mais de 1 ano, com músculos atrofiados por não se poder movimentar e cujas unhas encaracoladas (de compridas) se cravavam nas almofadas das patas, o qual era pontapeado até à consulta por não conseguir andar;. eutanásia de animais nas próprias boxes;
Esta descrição continua actual hoje passados TRÊS ANOS, isto com a degradação do espaço e a sua utilização deficiente em comparação com o modelo/planta afixado à entrada das instalações onde até consta uma sala de estar para os Munícipes que aí se deslocassem isto fica bem no papel, pois na realidade aguarda-se junto ao portão por vezes horas, dependendo da afluência (e da pouca vontade dos funcionários), ao sol ou à chuva dependendo das condições climatéricas!!
Esta descrição não é compatível com a definição de canil municipal de um país europeu civilizado.É uma verdadeira vergonha para a capital de um país que neste momento tem até a presidência da União Europeia. A correcção desta situação é uma obrigação basilar de qualquer autarca. Há óptimos exemplos em Portugal e em muitos outros países que provam ser possível um modelo de gestão humano e condigno. É isso que defendo para o município de Lisboa.
Esperando uma atitude concreta e justa por parte de V. Exs., aguardo então a divulgação pública dos vossos planos de remodelação do canil/gatil da Câmara Municipal de Lisboa, a discussão pública deste assunto e a tomada de medidas concretas para corrigir esta situação.
Aguardando a vossa resposta
Com os meus mais respeitosos cumprimentos
Nome: ...
Freguesia (opcional): ...

2 comentários:

Luisa Moreira disse...

Como a minha mãe mora em Benfica, posso enviar em nome dela.

Abraço
Luisa

Zoe disse...

pois é, a luísa faz parte do munícipio de loures. que tal o canil municipal? já visitou? eu visitei o de lisboa, quando ainda era ao lado da cantina velha da cidade universitária. era tão horrível, tão horrivel que até tive uma crise alérgica