terça-feira, 1 de setembro de 2009

ARRE!

O botão de arranque do meu PC teima em não arrancar, e já há bastante tempo que a funcionalidade "som" não existe, enfim, um aparelho à imagem e semelhança da dona. Fernando Pessoa lá teria as suas razões para estar furibundo com a política portuguesa da época, eu ando tão cansada que nem me consigo indignar com nada, nem comigo própria. Felizmente que existe Fernando Pessoa, para cheio de pontos de exclamação exprimir a sua raiva, a sua frustração ou qualquer outra coisa.

Arre, que tanto é muito pouco!

Arre, que tanta besta é muito pouca gente!

Arre, que o Portugal que se vê é só isto!

Deixem ver o Portugal que não deixam ver!

Deixem que se veja, que esse é que é Portugal!


Ponto.

Agora começa o Manifesto:

Arre!Arre!

Oiçam bem:

ARRRRRE!


Álvaro de Campos

Bendito seja

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E ainda há quem queira acabar com os pontos de exclamação!

Zoe disse...

há coisas que me transcendem,esta cena dos pontos de exclamação deve ter um sentido oculto e esotérico que me escapa totalmente. deve ser uma espécie de linguagem só entendida por alguns iniciados que comunicam em código, só pode.